Viver da bolsa como day trader

Estou repassando aqui um excelente artigo escrito por Hugo Teixeira em seu blog Senhor Mercado

O artigo fala dos diversos erros cometidos por quem deixa o emprego para se dedicar á profissão de trader na Bolsa :

  • só quiseram saber do dinheiro
  • não tinham noção dos custos
  • possuíam mentalidade de funcionários
 Aconselho a todos que desejarem começar ou não como day trader a ler este artigo até o fim, vale a pena!
Um alerta: no paragrafo 2 o autor fala de custos, este artigo foi escrito alguns anos atrás… farei um artigo logo para falar da noção de custos envolvidos e como minimizá-los. Em relação aos ganhos, o autor fala de day trader em ações e não com opções. Um Day trader com opção ou mini contratos e eficiente, tem custos mais baixos e ganhos muito mais elevados ( e portanto perdas potenciais mais elevadas também).

 

 

 É um clichê bem bobo, mas em todo mercado altista acontece a mesma coisa, várias pessoas descobrem as ações, ficam sabendo que é muito “fácil” fazer dinheiro na bolsa de valores e decidem se tornar day-traders. Eles vão, eles vêem e eles perdem.
Para avisar os mais apressadinhos que os mercados nem sempre são sinônimo de festa, decidi escrever este post. E explicarei em forma de lista para simplificar, mas sem historinhas dessa vez 🙁
O erro dos traders foi… hmm, o quê? Precisa de historinhas? Affff, tá bom, não fiquem tristes, lá vai: Era uma vez o Pedro, um dia passeando por aí, ouviu falarem na Bovespa, 5 segundos depois, decidiu se tornar um day-trader.
Se demitiu do seu cargo de ajudante de assistente de estagiário de pedreiro júnior, leu um livro, emprestou 3 mil reais do cheque especial, perdeu tudo em uma semana e se matou. Legal, e então? O que ele e mais uma porrada de day-traders fizeram de errado? Tudo, mas principalmente, três coisinhas…

 

1 – Só quiseram saber do dinheiro
 
Da mesma forma em que jogadores de futebol, pelo menos inicialmente, não jogam só pelo dinheiro, um day-trader também não pode operar só pelo dinheiro, não dá certo e até a simples idéia de tentar já é idiota. O que acontece é: ser um especulador não é tão fácil e simples como os filmes e as matérias bobas das revistas sugerem, assim como outras profissões, existem obstáculos, desafios e dificuldades. Por isso essas pessoas que só querem saber dos lucros já começam em desvantagem. Como elas não gostam do jogo, assim que uma única dificuldadezinha surgir, eles não terão motivação para continuar e eventualmente, vão desistir.
Se o seu único objetivo é o dinheiro e você não estiver fazendo nenhum, ou pior, estiver perdendo, a sensação será de fracasso. Como podem existir vários dias de resultados ruins, a cada dia a sensação será pior, a cada dia no vermelho, o trader ficará mais desmotivado. E não vai adiantar ler 2 míseros procurando pelo Santo Graal porque essas pessoas não saberão como fazê-lo. Elas não gostam da especulação. Não querem “resolver o puzzle”, querem apenas dinheiro fácil. Na hora dos tropeços, esses traders espatifam suas caras no chão, viram estatística junto com os outros iludidos e então dizem para as outras pessoas que “é impossível fazer dinheiro como day-trader!”.

 

2 – Não tinham noção dos custos

 

A maioria dos day-traders ignoram totalmente os custos das operações. Eles não se tocam de que o day-trading é uma atividade cara. Como comentei num post anterior, para fazer operações de médio e longo prazos com o mínimo de segurança (position sizing legalzinho e custos proporcionalmente baixos), será necessário um capital de pelo menos 30 mil reais. Isto é, utilizando os serviços da corretora mais barata do Brasil (5 reais + ISS) e mandando apenas umas 15 ordens pelo Home Broker por mês. Nesse caso, para ter lucro (uns 10 mil por ano XD), antes será preciso fazer por volta de mil reais para cobrir as taxas, o que é totalmente possível, afinal, são apenas 3.4% do capital todo.
Mas para os day-traders, a história é completamente diferente. Para eles, 15 ordens por mês não são absolutamente nada, por isso, aqueles 30 mil reais passam a ser quase nada também. Por exemplo, imagine um operador que “gasta” umas 10 ordens por dia, 20 dias por mês. O total dessas ordens passará dos mil reais, ou seja, esse trader banana só terá lucro sobre o que passar de 40% no ano, se passar! Só para cobrir os custos! E sem contar o Imposto de Renda! Para chegar nos 3.4% como mostrado acima, esse day-trader precisaria de mais de 350 mil reais! E sabemos que a maioria dos interessados tem muito, mas muito menos do que isso.

 

3 – possuíam mentalidade de funcionários
 
Muitos dos que largam seus empregos para virarem day-traders levam para os mercados a seguinte mentalidade: “Se eu trabalhar duro hoje, farei muito dinheiro”. Só que na especulação, não tem essa de “trabalho duro”. As únicas partes realmente duras são: a da criação de um sistema de trading e a do controle emocional, quando você precisará aprender a aguentar as pressões psicológicas do negócio. Mas esses day-traders mal informados não sabem disso. Eles decidem negociar bastante achando que essa é uma forma garantida de conseguir mais dinheiro, afinal, “se no meu emprego normal funciona, porque não funcionaria aqui?”
E qual é o resultado? Over-trading! Alguns traders não conseguem esperar as oportunidades. Não, eles não querem saber, eles vão atrás das oportunidades, eles lutarão por isso! Mas quando não encontram nada, se desesperam, fazem um trade que não fariam em condições normais e perdem. O problema é que esses caras não entendem como as coisas realmente funcionam pois a sociedade mima as pessoas com falsas ilusões de segurança. Mas os mercados são iguais à natureza, que é a verdadeira “vida real”. Logo, você poderá não conseguir pescar um bom peixe todos os dias. Às vezes não terá o que fazer. E se no dia seguinte “o lago ainda estiver em tendência lateral hehe”, azar o seu.
Então meu plano de largar meu emprego para tentar ficar rico como day-trader mesmo tendo pouco dinheiro, zero conhecimento e uma mentalidade derivada totalmente do meu condicionamento social é uma idéia idiota?
 
Sim! Mas não priemos cânico, dá para resolver a situação. Se quiser ser um day-trader, primeiro certifique-se de que você tem o capital adequado, se os custos estimados anuais das operações passarem de 15% do seu capital, você estará pedindo para quebrar, mesmo porque iniciantes não costumam fazer dinheiro desde o começo. Se não tiver o dinheiro, dê um jeito de conseguir, economize, se não der, se você tiver muitas despesas com casa, esposa, filhos e etc, azar o seu, deveria ter pensado nisso antes.
Depois disso, estude, leia muito sobre especulação, position sizing e psicologia do trading. Não adianta ficar comprando livros genéricos de análise técnica, você precisa se concentrar nos fundamentos da especulação e não em alguma coisa técnica boba que qualquer um com o mínimo de conhecimento poderia te explicar em 20 minutos. Faça isso e estará no caminho certo, se você chegará até o final, é outra história…

 

2 Replies to “Viver da bolsa como day trader”

  1. Anônimo

    França,

    Só tem um detalhe que não vi comentarem: O risco quem define é o Trader não o instrumento. Se um instrumento é mais volátil, o papel do trader é regular sua exposição para que o risco fique no nível desejável. Quando se escolhe um instrumento, tem que se levar em consideração outros fatores também como o custo de operação, liquidez, variação do spread, … A meu ver, opções tem um custo operacional e um spread muito mais controlado que ações, mas está sujeito ao fator theta. Saber escolher corretamente o strike e vencimento é fator decisivo e fundamental para quem quer usar o instrumento para daytrade.

    João Henrique

    Responder
  2. Roger Batte

    sim João ..por isto que só trabalho no intraday com ATM e ITM …por sinal mais ITM que ATM….OTM eventualmente somente na semana do vencimento mesmo ….

    Responder

Deixe uma resposta