RISCO E TAMANHO DA POSIÇÃO EM DAY TRADES: 4 PONTOS ESSENCIAIS PARA VOCÊ ENTENDER DO QUE SE TRATA

Quando comecei a operar na Bolsa, a única coisa que me preocupava era ter o melhor set up técnico. E eu não parava de perder dinheiro!! Depois de alguns anos eu percebi que eu precisava de manejo de risco (Risk Management). Implementei um controle de risco mas continuava perdendo dinheiro. Passou mais algum tempo e percebi que precisava de manejo de posição (Position Sizing), mas continuei a perder dinheiro… não tanto quanto antes mas continuava negativo. Percebi que precisava de manejo de Capital (Money Management). Porém meus ganhos eram irregulares, então percebi que eu precisava de tudo ao mesmo tempo.

Infelizmente muito se fala e se escreve sobre money managment, managment risk ou Position sizing o que torna muito difícil a compreensão do assunto e saber o que precisa fazer de maneira bem concreta e quais as perspectivas de melhoria de nossos resultados ao implementar estas técnicas e até, se realmente precisamos delas.

Hoje estou totalmente convencido que para vencer você precisa :

  • ter um set up que assegura pelo menos 50% de trades vencedores.
  • com este set up definido, poderá definir o risco assumido a cada trade.
  • Uma vez determinado este risco, poderá determinar com quanto de capital poderá entrar no trade.
  • e com tudo isto definido poderá definir como ira administrar seus ganhos e perdas e portanto a evolução de seu capital.

FAZ SENTIDO PARA VOCÊ? ENTÃO ME ACOMPANHE NESTA VIAGEM !!

O propósito deste artigo é mostrar :

  1. Qual é a natureza do risco
    1. O porquê do risco ou qual a probabilidade de um trade dar certo
    2. A psicologia do trader e seu impacto sobre o risco
  2. como controla-lo (Risk management).
  3. como determinar o manejo de posição em função do risco assumido (Position Sizing): os diversos métodos conhecidos
  4. como fazer o manejo de capital (Money management)
    1. inclusão do custo das operações no calculo do tamanho da posição
    2. sistema de Kelly
    3. caso do trader iniciante
    4. como aumentar as posições em função do acumulo de capital
1-A NATUREZA DO RISCO 
 o risco
A-O PORQUÊ DO RISCO OU QUAL É A PROBABILIDADE DE UM TRADE DAR CERTO?

O mercado é movido essencialmente por grandes corporações que usam capital, profissionais e meios logísticos que nenhuma pessoa física pode dispor. São elas que fazem o mercado. Elas entram comprando ou vendendo por razoes as mais diversas e que não interessa saber quais são, porque são sujeitas a mudar o tempo todo. Algumas vão entrar na compra,  por exemplo porque um cliente pediu para elas comprarem vários lotes de tal ou tal ação, ou porque a Diretoria de tal fundo decidiu acumular uma certa carteira.
Na posição oposta, outras corporações vão entrar na venda pelas mesmas razões. Entendem, ninguém esta certo ou errado, somente cada uma destas corporações tem uma visão diferente e necessidades diferentes para comprar ou vender. O fato é que no mercado Futuro, a cada compra corresponde uma venda. É um jogo de soma nula. E sendo assim, a cada vez que se executa uma ordem, alguém esta comprando no preço que ele acha o mais adequado para ele naquele momento e alguém esta entrando na venda no preço que ele acha o mais adequado para ele naquele momento sem que por isto nenhum dos dois esteja errado.
Existem no mercado basicamente 3 tipos de operadores :

-Os PRICE MAKERS, que são os investidores que vão comprando ou vendendo de maneira continua o dia inteiro .São eles que fazem o mercado subir ou cair.
-Os MARKET MAKERS , contratados pela BMFBOVESPA que usam HFT (High Frequency Trading) para operar. Sua função é de dar liquidez ao mercado. A cada vez que alguém quer comprar (ou vender) um contrato sem que aja alguém na contra parte o Market Maker deve oferecer a contra parte. Eles fazem isto vomitando ordens de compra e venda a toda velocidade contra eles mesmo, de maneira a que o mercado possa trabalhar sem parar. A qualquer momento alguém outro pode vir entrando ao preço que mais lhe convir.
-Enfim, temos os PRICE TAKERS. São todos os outros, que não tem como influenciar o mercado e deve se acomodar das variações dele. As Pessoas Físicas são Price Takers.
O fato é que a cada vez que entra num trade quem vende esta convencido que esta vendendo no preço adequado e quem compra, idem. E os dois estão certos. Num dia de alta, uma empresa pode ir vendendo o dia inteiro e estar ganhando dinheiro… vende a 100 e compra a 95…volta a vender a 115 e a recomprar a 100… etc…

Portanto, a cada momento quem entra na compra e quem entra na venda tem a mesma probabilidade básica de acertar o trade e portanto a probabilidade de cada trade é de 50%.
O trabalho do day trader é aumentar esta probabilidade de alguns porcentos.
A consequência desta observação é que a probabilidade de qualquer trade dar certo se situa entre 40 e 60 %. Se você pensar que seu trade é muito obvio e que portanto a probabilidade é de 90%, você tem que realizar que na outra ponta quem esta entrando contra você não é mais estúpido que você e portanto ele também viu a mesma oportunidade. Acontece que tem 99,9% de chance que este alguém seja uma grande corporação que precisa justamente entrar numa posição oposta. Então aquele trade que era tão obvio e onde a principio todo mundo deveria entrar, esta sendo atacado por este operador muito interessado na posição inversa e que ira colocar todo o dinheiro possível contra esta entrada e ira inverter o mercado bem rápido. É por isto que trades óbvios são muitas vezes estopados e com isto pode constatar que sua probabilidade de 90% não é mais de 90%… mas sim novamente de 40 a 60%.

B-A PSICOLOGIA DO TRADER E SEU IMPACTO SOBRE O RISCO

psicologia do trader

Acontece que nós, os Traders, somos bichos complexos que dificilmente agem com total racionalidade. Os economistas comportamentais mostraram que, intuitivamente, os traders são avessos ao risco quando estão lidando com ganhos, mas aceitam buscar altos riscos quando há possibilidade de perdas. Assim quando um trader esta numa série de trades perdedores, a tendência é ele executar mais trades com mais capital tentando recuperar o prejuízo com um único trade. Ao agir assim o trader é levado rapidamente à falência. 

Tradicionalmente assume-se que os traders sendo pessoas racionais, fazem escolhas racionais, e que com quantia igual, uma perda não importa mais do que um ganho. Esta observação leva a concluir que um trader pode ser totalmente racional e portanto procura maximizar suas preferências à luz da teoria da utilidade esperada.

Porém, as falhas nas atitudes dos investidores ao longo dos séculos 19 e 20, com a repetição de bolhas na Bolsa, levaram a novas analises incluindo os aspectos psicológicos.

Em 1979, no artigo Prospect Theory: an analysis of decision under risk Daniel Kahneman e Amos Tversky formularam a Teoria da Perspectiva. 

“concluíram, em resumo, que tendemos a sobrevalorizar eventos certos a eventos altamente prováveis, ainda que a escolha pelos segundos seja racionalmente melhor, como, por exemplo, preferir ganhar R$ 900,00 com certeza a arriscar ganhar R$ 1.000,00 com 95% de chance – Efeito Certeza (Certainty Effect).

Demonstraram, também, que, em valores equivalentes, frequentemente sentimos mais as perdas do que valorizamos os ganhos, levando ao importante conceito de Aversão à Perda (Loss Aversion) – e não simplesmente ao risco – e, por isso, somos inclinados a ter aversão ao risco quando estamos ganhando e propensão ao risco quando perdemos – Efeito Reflexão (Reflection Effect).

Por fim, concluíram que, em situações que abrangem mais de um problema, tendemos a focar nossa decisão em apenas uma etapa, simplificando a escolha, ao invés de analisarmos as opções de forma ampla e conjunta – efeito isolamento (Isolation Effect).”

Texto tirado de Finanças comportamentais e Teoria da Perspectiva

 Assim nossos resultados não dependem tão somente de decisões racionais mas sim de simplificações emocionais.

E emoções não coabitam bem com eficácia dos trades. Portanto precisamos criar mecanismos que irão nos orientar na sequência de nossos trades para limitar o efeito das emoções que são inerentes a todos os traders, mas principalmente aos day traders. 

Estas emoções estão ligadas ás perspectivas ligadas ao risco embutido em cada operação de trade. O risco é criado:

  • pela natureza da entrada (set up)
  • a probabilidade do trade dar certo
  • a percentagem do capital disponível engajado no trade, 
  • o ponto a partir do qual o trade deixara de ser valido (stop loss)
  • o tempo de permanência no trade ou a repetição do trade.
  • a volatilidade do ativo
  • e o preço alvo do trade

O nosso resultado final ira depender de nossa capacidade em montar uma metodologia de trades que conseguirá incorporar todos ou pelo menos a maioria destes parâmetros.

É disto que trata o Manejo de risco (risk managment), o dimensionamento da posição (position sizing) e o manejo do capital (money managment).

O que escrevi ate agora faz sentido para Você? então continue lendo.

2-O MANEJO DE RISCO

risco

O manejo de risco é o conjunto de técnicas utilizadas para quantificar e controlar o risco. Qualquer seja a técnica utilizada  para operar (Analise Tecnica ou Tape Reading), o day trader ira se proteger utilizando suporte e resistências como níveis a não serem ultrapassados sem que haja inversão do trade. Assim um trader que entrou numa compra, ira identificar um nível de suporte abaixo do qual ele ira considerar as condições de entrada na compra invalidadas e portanto devera sair do trade. Da mesma forma, um trader que entrou numa venda ira identificar um nível de resistências acima da qual ele ira considerar as condições de entrada na venda invalidadas e portanto devera sair do trade.

A equação do risco é portanto : quantidade de pontos de perda x o valor por ponto x a quantidade de contratos engajados no trade ou R=Qp x Vp x Qc. Como Vp é constante , para podermos manter o risco constante dentro de um nível aceitável, só podemos agir sobre Qp e Qc. Portanto as técnicas de controle de risco estão divididas entre aqueles:

  1. que mantém a posição do stop loss e a quantia de contratos constantes Neste caso o trader ignora os níveis de suportes e resistência e definira um stop loss financeiro em função da quantidade de contratos engajados. Geralmente quem usa esta técnica, utiliza um stop loss confortável para não ser estopado pela volatilidade do papel e portanto utiliza poucos contratos em relação a seu capital. Por exemplo, ira operar o índice BOVESPA com um stop loss de 300 pontos e um stop gain de 100. Será pouco estopado. Mas quando o será perdera o equivalente de 3 trades vencedores mais um nulo.
  2. que fazem variar a quantidade de contratos em função do stop loss. Neste caso o trader ajuste seu stop loss a um nível de suporte ou resistência puramente técnico e ajuste a quantidade de contratos para ficar dentro de seu limite de risco. Geralmente quem usa esta técnica é quem tem recursos financeiros limitados e quer otimizar a utilização destes sem ultrapassar um limite de risco predeterminado.
  3. que mantem a quantidade de contratos constantes e ajuste seu stop loss a um nível técnico (suporte e resistência). Neste caso o trader aceita a variação da taxa de risco. Ele ira imaginar um stop loss máximo que ele espera nunca ser atingido e calcula a quantidade de contratos a operar em função deste stop loss e do risco que ele aceita incorrer. A partir dali ele passara a operar sempre aquela quantidade de contratos fazendo variar o stop loss. Nesta situação o risco varia mas ate um limite acima do qual o trader nunca ira.

Nenhuma destas técnicas e melhor que a outra a priori. A escolha de uma técnica ou outra ira depender da sensibilidade ao risco de cada trader assim como seu nível de capitalização e sua experiencia.

Acontece que apesar de ter escolhido uma técnica de manejo de risco , o trader não esta garantido de acumular ganhos pela simples razão que poderá entrar num ciclo de trades perdedores e neste caso poderá haver mudanças significativa no seu capital disponível , principalmente para quem utiliza um capital limitado. 

Você ficou curioso de saber como podemos melhorar o controle de risco??? Precisamos passar a um segundo conceito que é o conceito de Position Sizing. Me acompanha !!

3-O POSITION SIZING OU DIMENSIONAMENTO DA POSIÇÃO

São disponíveis no mercado varias alternativas de calculo de Position sizing. São elas:

-o metodo FFE (Fixed Fraction Exposure)

Neste método calculamos a fração do capital que arriscamos ao investir. Este percentual esta diretamente ligado ao tamanho da conta do trader e portanto deve ser recalculado após cada trade. A divisão do valor financeiro a investir pelo valor do stop loss ira fornecer a quantidade de contratos que serão operados a cada trade. Neste caso o trader ira calcular sua posição em função de uma taxa de risco não superior a 5% por exemplo. Assim com um stop loss mais longo a quantidade de contratos operados será menor enquanto que com um stop loss mais curto a quantidade de contratos será maior.

Podemos exemplificar com contratos futuros de mini Índice do IBOV.

Supondo que a corretora exige 100 reais de margem por mini contrato, que o trader tenha 30.000 reais para operar, e não queira arriscar mais do que 5% de seu capital, ele poderá arriscar 30.000×0,05= 1500 reais

se seu stop loss estiver a 100 pontos do ponto de entrada, ele poderá realizar a operação com 1500/(100×0,20)=75 contratos 

mas se seu stop loss estiver a 300 pontos, só poderá entrar com 1500/(300×0,2)=25 contratos para ficar dentro de seus 5% de risco.

A vantagem deste método é que se começar a entrar numa espiral de perdas, com a diminuição do capital, a quantidade de contratos ira cair também diminuindo gradativamente o risco incorrido. O inconveniente é que após ter perdido dinheiro e entrar numa espiral de trades positivos, ira ser limitado na sua recuperação financeira. Terá perdido dinheiro com posições altas e ira recuperar composições mais baixas. Neste caso a recuperação fica mais difícil.

-O método Martingale

Este método baseia se na impossibilidade de uma série infinita de eventos perdedores. Ou seja quanto maior as perdas consecutivas , maior as chances de ganhar na próxima aposta. Neste método aumenta se a posição a cada trade. Por exemplo começa se no primeiro trade com 1% do capital, e então 2% no trade seguinte e assim sucessivamente ate ter um trade positivo. Parte do principio que o primeiro trade positivo ira trazer de volta toda a perda anterior.

O inconveniente deste método é óbvio: se entrar numa série extensa de trades perdedores o trader ira a falência. Tendo este inconveniente em vista, foi desenvolvido o método antimartingale que veremos logo abaixo.

-o método das variações de Fibonacci

é uma variação do método Martingal sendo que a cada trade positivo aumenta-se a posição nas sequência dos números de Fibonacci e a cada trade negativo diminui-se a posição usando a mesma sequência. A vantagem sobre o Martingal é que a queda é mais lenta no caso de uma sequência de trades perdedores mas a recuperação é também mais lenta e não exclua a perda total do capital antes de poder recuperar.

Metodo Martingale

-o método antimartingale

No método antimartingale o trader aumenta sua exposição quando esta ganhando e a diminuí quando esta perdendo. Assim pode aumentar sua exposição ao risco de por exemplo 3% quando fizer um trade positivo e diminuir de 3% quando estiver fazendo um trade negativo.

A vantagem é evidente: as perdas irão diminuir a cada trade negativo e a recuperação ira acelerar quando estiver numa espiral de trades positivos. O inconveniente é que como no caso do FFE, a recuperação é mais lenta.

metodo antimartingale

-o método da exposição constante

Neste método o trader aposta sempre a mesma quantidade de contratos independentemente de seu sucesso e da percentagem de capital. É uma variação do FFE.

Neste caso o trader decide de operar sempre a mesma quantidade de contratos. Ele pode decidir que ira começar operando por exemplo 5 % de seu capital. Com estes 5% ele calcula a quantidade de contratos que pode operar e a partir dali opere sempre com a mesma quantidade.

A vantagem clara é que após ter perdido alguns trades , sua capacidade de recuperação é intacta. O inconveniente é que a curva de perda percentual se acelera rapidamente e que em caso de ganho, estes são limitados pelo tamanho limite da posição.

Vamos supor que o trader tenha 30.000 reais para operar. Ele decide operar 5% e portanto 1500 reais. Com uma margem de 100 reais por contrato ira operar 15 contratos. Vamos supor que inicia seus trades com 5 trades perdedores de 300 pontos. Ele terá perdido: 5x300x15x0,20=4500 reais. Após estes trades seus 15 contratos não representam mais 5% mas 5,88% do capital. É por isto que quem usa esta metodologia procura ter um set up que lhe dará permanentemente uma taxa de acerto superior a 50%. Senão com o tempo a conclusão é a ruína.

-O método da exposição total

Neste caso o trader aposta 100% de seu capital o tempo todo. A vantagem é que pode obter ganhos altos rapidamente. O inconveniente é que pode ser arruinado em curtíssimo tempo. É sem duvida a pior das metodologias de trade.

Podemos ver que todos estes métodos tem suas vantagens e inconvenientes e nenhum deles levam em conta o draw-down do set up nem mesmo a probabilidade do trade dar certo ou errado. Ou seja não leva em conta o aspecto psicológico do trading.

Para isto precisamos passar a estudar o ultimo conceito que é o conceito de money managment ou Manejo de capital . 

Ainda não chegamos no fim desta viagem. Falta muito. Continua interessado? então continua me seguindo!!

4-O MONEY MANAGMENT OU MANEJO DO CAPITAL

Na hora de entrar no trade Você já avaliou o risco e o objetivo de seu trade. O risco deve ser calculado em termo de capital. Isto porque o resultado dos trades depende de nosso conforto em realizar este trade. Se você operar fora de sua zona de conforto, pode apostar que ira perder dinheiro mesmo operando corretamente. A explicação é que os movimentos naturais do mercado irão te obrigar a pular fora de um bom trade quando este se tornar contra você de 60 , 80 pontos (no índice futuro) se entrar com a totalidade de seu capital.
Assim alguém que operar com uma margem na corretora de 200 reais por contrato e que tem 2000 reais para operar, pode decidir operar 10 contratos permitidos pela corretora. Mas ele ira perder 10% de seu capital a cada vez que perder 100 pontos (100x10x0,2=200 reais). Se acontecer 3 vezes seguida, ira perder 30% de seu capital em um piscar de olho. E este potencial de perda ira assusta-lo.

A-Inclusão do custo no calculo do tamanho da posição.
Precisamos introduzir os custos da operação para entendermos porque certos traders que tem 60% de acertos continuam perdendo dinheiro.
Com uma corretagem compreendida entre 0,5 e 0,8 reais, ira precisar de 10 pontos (no mini índice) para pagar o trade. Assim a cada trade de 100 pontos positivos ira ganhar 90 pontos líquidos.
E a cada trade negativo de 100 pontos ira perder liquido, 110 pontos
Com uma taxa de acerto de 60% , depois de 10 trades temos o seguinte resultado :
6x(100-10)-4x(100+10)=54-44 =10 pontos !!… ou seja é um quase empate… e ninguém trabalha para empatar dinheiro… então para ter um resultado positivo do qual possa pretender viver precisa aumentar sua taxa de acertos para 80 ou 90 %… o que humanamente impossível!!! Só para lembrar a taxa de acerto de um bom trader esta entre 45 e 60% de maneira consistente.
Vou agora raciocinar com 1 contrato, cada um adaptando a sua realidade multiplicando pelos próprios valores .
Podemos representar seu Capital pela formula :
C=KxM   onde K é a quantidade de contratos e M a margem pedida pela sua corretora .
100 pts de ganho ou de perda representa por contrato:
10% de uma margem de 200 reais
6,7% de uma margem de 300 reais
5% de uma margem de 400 reais
4% de uma margem de 500 reais
 e assim por diante… qualquer seja a quantidade de contratos…
podemos escrever que a formula do lucro é :
L=G-P onde G é o total dos ganhos líquidos e P o total das perdas liquidas.

No caso do mini índice BOVESPA temos os seguintes valores:

G=Cp*0,2*Pp.*Tp onde
Cp=quantidade de contratos nos trades positivos
Pp=quantidade de pontos dos trades positivos
Tp= a quantidade de trades positivos
Cp*0,2 representa também o capital empregue nos trades positivos

P=Cn*0,2*Pn*Tn onde Cn, Pn e Tn são respectivamente os contratos, pontos e Trades negativos

Se a gente considera que Tp é de 45% e portanto Tn=55% e que Cn=Cp=C  obtemos a formula do lucro seguinte para 100 trades  :
L=0,2*C*(45*Pp-55*Pn) que deve ser >0
0,2*C*(45*Pp-55*Pn)>0  e portanto
teremos que ter 45*Pp>a 55*Pn e portanto Pp>55/45*pn
Pp>1,22Pn… ou seja temos que ter, a quantidade de Contratos constantes, um objetivo igual no mínimo a 1,22 o risco para ter uma chance de sair positivo no final do período. Agora incluindo os custos :
Pp-10>1,22Pn+10… se consideramos Pn=100 pontos, chegamos a conclusão que a quantidade de pontos positivos deve ser igual a 142 pontos para cada 100 pontos perdidos.
Colocado de outra maneira, para cada ponto de risco (de perda), deve ter mais do que 1,42 pontos de ganho para que no tempo , haja ganho constante.

Enfim, se eu quero limitar minhas perdas a 10% de meu capital por dia, e admitindo a possibilidade de iniciar o dia com ate 3 trades negativos, meu limite inicial de perdas por trade não poderá ultrapassar 3,33%. Ou seja :

Cn*0,2*Pn<0,033*C  ou
risco*0,2*Cn<0,033*C  e  portanto
C> 0,2/0,033*risco*Cn  e C>6,06*risco*Cn
Para exemplificar para um risco de 100 pontos , vou ter que ter um capital de 606 reais por contrato , independentemente de meu limite liberado pela corretora …
Dito de outra maneira : vamos supor que um trader tenha 3000 reais na conta da corretora com uma margem de 500 reais por contrato. A corretora ira autorizar ele a operar 6 contratos …mas se nosso trader não quer perder mais de 3%, e que a operação a qual esta pronto a entrar esta com um stop de 150 pontos , ele somente poderá fazer este trade com :
3000/(6,06*150) =2,83C ou seja 2 contratos no lugar de 6C .
E seu objetivo terá que ser igual a :
risco*1,42=150*1,42=215 pontos mínimo …
Nestas condições , o trader não ira perder mais do que 3% de seu capital por trade negativo para  iniciar o dia e ira ganhar no mínimo a mesma quantia liquida que o seu risco incorrido , o que ira o levar a acumular lucros superiores ás perdas .

A vantagem deste método de definição do tamanho da posição é que se for respeitado com disciplina , ao longo do tempo, o resultado será necessariamente positivo e o capital irá crescer sempre. A desvantagem é que ele fixa um objetivo mínimo independente das condições do mercado que pode ser dificilmente atingido se a taxa de erro for superior a 55%.

Segue abaixo o quadro de calculo para uma taxa de acerto (Tp) de 30% a 70% no índice e no dólar, da quantidade de pontos mínimo a serem atingidos para que os lucros estejam sempre superiores a um risco de 100 pontos.

quadro de resultados minimo em função do risco

No caso do dólar o calculo foi feito com um risco de 5 pontos.

A estratégia a utilizar neste caso no mini índice, é fazer SEMPRE trades de por exemplo 150 pontos de objetivo com stop de 100 pontos ou de 7 pontos no dólar com stop de 5 pontos. Com uma taxa de acertos de 45% , o capital ira subir consistentemente .

Esta estratégia nos traz ao ultimo modelo de money managment que é o sistema de Kelly.

B-Definição do money managment pelo sistema de Kelly.

“Em 1956, baseado em um trabalho de Claude Shannon, matemático norte-americano conhecido como o pai da teoria da informação, Kelly escreveu um artigo para uma revista científica com o título de “A new interpretation of the Information Rate” (“Uma nova interpretação para as cotas de apostas”).

O primeiro passo a ser dado para começar a utilizar o método delineado pelo físico norte-americano é estabelecer o que ele apelidou de bankroll que seria o capital disponível para as apostas. Este capital não pode ser um capital necessário para outra aplicação como pagar contas do dia a dia. O passo dois, é de estabelecer a porcentagem do bankroll a ser utilizada em cada aposta a ser realizada.

Esse passo é o grande diferencial entre o método desenvolvido por Kelly e muitos outros sistemas de apostas. Enquanto a grande maioria estabelece um valor fixo ou então de antemão já divide os valores em um número X de apostas a partir da verba que se tem para jogar, no Critério de Kelly, o estudo do valor a ser arriscado em cada aposta é feito caso a caso. Toda aposta é individualizada.

Três são as variáveis que devem ser determinadas a partir do Sistema de Kelly:
1) O valor a ser arriscado – isso vai ser definido a partir do bankroll (a verba) disponível
2) A cotação- a melhor que encontrarmos em função do set up utilizado.
3) Probabilidade do resultado se tornar realidade – a probabilidade da operação se concretizar baseado em dados estatísticos.

Ver o texto original no artigo o sistema de Kelly.

A formula fica portanto : K= W-(1-W)/R

onde :

W é a percentagem de trades positivos em relação ao total de trades executados.

R: é a relação entre o valor médio dos trades positivo e o valor médio dos trades negativos 

K é o valor de Kelly que define a percentagem do capital a ser aplicado no trade. 

Por exemplo: vamos supor um trader que tenha um capital de 30.000 reais para operar, uma taxa de acertos de 55% e uma relação entre valores de trades positivos de 1,40, a percentagem de capital a ser utilizado seria :

K= 0,55-(1-0,55)/1,40 = 0,23 ou seja 23% 

capital a ser utilizado= 30.000*0,23= 6.900 reais

Nesta teoria, resultados negativos levam a desistência do trade.

Vamos supor um trader que tem somente 30% de acertos com uma relação de trade positivo sobre trade negativo igual a 0,80 (valor médio dos trades negativos superior ao valor médio dos trades positivos). Com estes valores o coeficiente de Kelly é igual a -58%. Neste caso o trader não poderia operar. Veremos logo depois como utilizar esta informação neste caso.

A teoria de Kelly é muito interessante pois traz informações fundamentais para nos orientar sempre sobre qual atitude a tomar em função de nosso nível de acerto , de nosso nível de capital, assim como permite uma grande flexibilização de manejo de risco e capital .

C-CASO DE UM TRADER INICIANTE

trader iniciante

Quando um trader inicia sua vida de day trader , ele não tem a mínima ideia de como serão seus resultados. A recomendação que ele recebe de traders mais experientes é que só deve utilizar um contrato para operar ate começar a ganhar dinheiro suficiente. Esta recomendação esta certíssima mas geralmente o nosso trader iniciante esta muito ansioso para começar a ganhar dinheiro e assim ira colocar talvez 20 , 30

ou 100% de seu capital nos trades e com isto ira perder muito dinheiro. É que a recomendação é muito subjetiva e permite ao nosso subconsciente todo tipo de esperteza negativa.

Ao invés de usar uma recomendação subjetivo, recomendo que o trader iniciante começa a operar o primeiro dia com 1 contrato e anota escrupulosamente todos seus resultados:

  • quantidade de trades positivos e negativos
  • valor de cada trade positivo e negativo

e no fim do dia aplique a formula de kelly. Com o resultado ele ira ter a % do capital que poderá operar em função de sua realidade. Se o resultado do calculo for negativo, isto quer dizer de maneira bem objetiva e racional que não pode operar. Tão simples assim!! mas como nosso trader novato tem que aprender , terá que operar com 1 único contrato ate inverter o resultado do calculo de Kelly !!! Aplicando este método , não há como se auto enganar!!

Por exemplo : após um dia, nosso trader fez 10 trades, sendo 7 negativos e 3 positivos e perdeu 10 reais em media nos trades negativos e ganhou 8 reais nos trades positivos, ele perdeu dinheiro claramente e o coeficiente de Kelly sera:

K=0,30-(1-0,3)/(8/10)= -0,3125  resultado negativo impossibilitando qualquer nova operação.

Nosso trader novato somente poderá operar 1 contrato ate o calculo ficar positivo.

Kelly desenvolveu sua metodologia baseando se na ideia que o coeficiente deve ser recalculado a cada trade. Porém há também a possibilidade de recalcular somente a cada final de dia. Usando durante o dia no máximo a quantidade de contratos calculado no inicio do dia em função dos resultados do dia anterior. A vantagem é que se entrar numa série de trades positivos não ira aumentar logo a quantidade de contratos, mas só no inicio do dia seguinte. Esta precaução é para evitar de fazer alguns trades positivos com aumento de contratos a cada trade e de repente sofrer um stop pesado com posição cheia que levaria a perder a totalidade dos ganhos havidos ate então . Seria um efeito Martingal inverso.

D-COMO AUMENTAR AS POSIÇÕES NA MEDIDA DO ACUMULO DE GANHOS.

Businessman touching financial dashboard with kpi

 

O problema que o trader experiente enfrenta é saber com quantos contratos deve operar e quando deve aumentar suas posições.

Usando o método de Kelly ele poderá saber qual volume de capital poderá usar em função de sua performa e quando poderá aumentar ou diminuir suas posições.

Eu apresento a seguir uma planilha exemplo onde considerei trades no mini dólar de 7 pontos de ganhos com stop de 5 pontos ( 70 reais de ganho para 50 de perda ) e uma taxa W de acerto que varia entre 45% e 85%. Podem ver que a taxa de utilização do capital varia de 6% a 74%.

exemplo de aplicação do sistema de Kelly

Podemos ver também que se considerarmos uma margem pedida pela corretora de 150 reais, podemos calcular a margem real por contrato que teremos que ter para operar em fase com nossa realidade operacional

Neste caso a lógica é que se por exemplo o calculo de K da um resultado de 14% , isto quer dizer que poderá utilizar 14% de seu capital. Se considerarmos que para operar um contrato a sua corretora exige uma margem de 150 reais , então estes 150 reais são os 14% e neste caso seu capital para operar um contrato devera ser no mínimo 150/0,14=1.050 reais. Esta é sua realidade do momento em função de suas performas, o que quer dizer que para passar a operar dois contratos se suas performas não mudarem , terá que acumular um capital de 2.100 reais. Percebemos logo a importância deste controle. Normalmente um trader que tem 1000 reais com uma margem na corretora de 150 reais ira provavelmente trabalhar com 4 ou 5 contratos e ira provavelmente aumentar sua posição a cada vez que ganhar 150 ou 200 reais. Deste modo poderá perder mais que ganhar já que a cada vez que ira aumentar sua posição e ter um estope, a perda poderá o levar a reduzir sua posição o que dificultará a recuperação das perdas.

Por outro lado se esperar atingir mais 1050 reais por exemplo para aumentar de 1 contrato , uma perda não terá impacto sobre sua recuperação já que continuara a operar com 2 contratos, a não ser que volte a perder os 1050 reais , mas neste caso o coeficiente k irá piorar e reduzir automaticamente sua posição de 2 para 1 contrato bem antes de perder os 1050 reais.

Assim , agindo desta maneira o trader terá uma acumulação lenta mas continua de seu capital, sem surpresa.

Estou apresentando o vídeo abaixo onde explico melhor estes últimos conceitos.

CONCLUSÃO

Após ter lido este artigo, poderá perceber que o assunto de controle de risco e money managment é um assunto muito estudado principalmente pelos aficionados em jogos. Podemos utilizar estes conceitos nos trades para tirar vantagem das probabilidades e estatísticas com o objetivo de diminuir nosso risco e aumentar nossos retornos nas operações.

Portanto os passos a seguir para se ter um controle de risco adequado é:

PARA O INICIANTE

  • começar a operar com um único contrato durante pelo menos 10 pregões independentemente do capital disponível: NAÕ TENHA PRESSA DE GANHAR DINHEIRO !!!
  • Com os dados operacionais, calcular o coeficiente de Kelly e portanto a percentagem do seu  capital disponível para estas operações.

PARA O TRADER MAIS EXPERIENTE

  • coleta todos seus dados operacionais. Mais completos serão , mais confiável será o calculo do coeficiente de Kelly
  • Calcula o coeficiente de Kelly para saber quanto de seu capital pode utilizar em função de seu nível de competência em operar.
  • aumenta a quantidade de contratos a operar somente quando o coeficiente de Kelly o permitir.

Eu espero que este artigo terá trazido os esclarecimentos necessários para melhorar seu controle de risco e saber como aumentar seu capital exposto, independentemente do nível de seu capital.

Espero seus comentários e sugestões para poder melhorar ainda mais este artigo.

 

 

 

23 Replies to “RISCO E TAMANHO DA POSIÇÃO EM DAY TRADES: 4 PONTOS ESSENCIAIS PARA VOCÊ ENTENDER DO QUE SE TRATA”

      1. Roger Batté Resposta do autor

        o fato de ter 60% de acertos não quer dizer que esta ganhando dinheiro. Por exemplo se estiver com 60% de trades positivos de 30 pontos em media no mini e 40% de trades negativos de 300 pontos em media , não é difficile perceber que esta perdendo dinheiro. O método de Kelly não ira te deixar se auto enganar ….

        Responder
          1. Roger Batté Resposta do autor

            com certeza estará ganhando. Mas acho que não entendeu o propósito do coeficiente de Kelly:mais Você acertar com trades mais positivos e mais alto sera o coeficiente de Kelly e portanto mais alto será a percentagem de seu capital que poderá utilizar. A esmagadora maioria dos principiantes (e dos não tão principiantes) usam mais de 50% ou ate 100% de seu capital com um coeficiente de kelly negativo. Com isto estão se arruinando. A proposta é que justamente temos uma maneira racional e bem objetiva de determinar quanto de nosso capital podemos usar em cada trade em função de nossa real competência e com isto limitar o total de perdas ate adquirir a competência que nós leva á acumulação de capital. Não há auto engano !!

    1. Roger Batté Resposta do autor

      sim , aos poucos irei cancelar os artigos antigos que são redundantes …obrigado pelo apoio

      Responder
    2. saniasin

      Roger,
      Corrija-me se entendi errado.
      Essa relação Tn/Tp (que seria 1-W/W da equação de Kelly) permite constatar que alvos mais curtos possibilitam aumentar a taxa de stop de 1 para 0,5 quando a estratégia tiver 68% de acerto –
      o que não muito difícil para um scalper – logo, ser scalper parece ser o mais racional, certo?

      Responder
      1. Roger Batté Resposta do autor

        a formula de Kelly é o contrario do que esta escrevendo . Ou seja é W/(1-W).R , sendo R igual ao valor médio dos trades positivos sobre o valor médio dos trades negativos. Poderá perceber que se aplicar a regra corretamente maior o valor médio dos trades positivos maior é o valor de K e maior é a percentagem dos trades positivos , idem. Portanto devemos ter um alto percentagem de trades positivos com os trades positivos com valores o maior possível em relação ao valor dos trades negativos. Portanto, este resultado não diz respeito á metodologia empregada, pois pode ter com scalpe um alto nível de acerto e baixíssimo valor médio de trades positivos e um alto valor médio de trades negativos o que inviabilizaria o método. Acredito que podemos vencer com qualquer metodologia de trades desde que sempre tenha na cabeça que tem que ter uma percentagem de trades positivos de preferencia igual ou maior que 50% e um valor médio dos trades negativos bem inferior ao valor médio dos trades positivos.

        Responder
        1. Sady

          Vc tem razão Roger.
          Me expressei mau. As expresões estão na fórmula Kelly, mas não nessa ordem.
          Talvez por temperamento, optei pelo scalp e encontrei um robô que lança as ordens com percentagens fixas de perda e ganho, com a opção de trailing stop.
          Baseado no que vc falou, vou reexaminar a relação loss/gain da minha estratégia.
          O fundamental da equação de Kelly acho que entendi: ela fornece um critério racional sobre o desempenho.
          Sua aplicação dela tanto no dimensionamento do tamanho, quanto na redução da posição ao mínimo, caso ela esteja negativa, foram muito úteis para mim no quesito disciplina.
          Muito obrigado por publicar esse texto e o vídeo.

          Responder
          1. Roger Batté Resposta do autor

            exatamente isto. A formula de Kelly não nos leva a dizer que tal estrategia ou outra é melhor , mas sim se esta estrategia que a gente usa é a melhor para nós. Um dos problemas em ser day trader independente é que a gente não tem nenhum parâmetro para auto julgar nossa competência. A formula de Kelly faz isto de maneira totalmente objetiva, sem rodeio. Se seu coeficiente de kelly é menos alguma coisa é que esta perdendo dinheiro e se estiver em 0,10 , então é para usar somente 105 de seu capital …etc…para mim a descoberta desta formula foi uma revolução na minha maneira de EU encarar o mercado. Espero que seja também para outros.

  1. Francisco

    Muito bom, Roger!
    Serviu muito pra rever conceitos e reforçar convicções. Ao longo dos anos operando índice e dólar a primeira conclusão depois de gastar grana e energia eu aprendi que temos que escolher um papel somente para operar, mesmo sabendo da tentação às vezes de ver a sua escolha andando de lado e o outro oscilando com boa volatilidade. Cansei de olhar o certo no dólar e ver o índice me tirar a atenção e os ganhos no mesmo dia, ou vice-versa. Desde quando escolhi o dólar tudo mudou, funciona como um relógio a hora que os participantes lutam pelo valor do ajuste, eventual atuação do banco central, hora de notícia que mexem muito no volume oscilando bem o preço, etc. Outra questão, ter um teto de ganho e de perdas para um dia. Cansei de fazer grana de manhã e entregar à tarde, certamente se desde o início tivesse feito isso hoje meu capital seria já bem outro. Prefiro operar com quantidades fixas de contratos, acho que o teto de perdas e ganhos com número certo de contratos é bem viável. Operar sem medo mas com cautela. O medo nos aniquila, temos a tendência a ser corajosos nas perdas e covardes nos ganhos. No mais, espero um dia próximo poder transferir estratégias vencedoras para sistemas automatizados confiáveis. Ser trade cansa, um dia as energias não permitem mais. Lá fora é um processo normal aqui ainda engatinhamos. Grande Abraço.
    Francisco

    Responder
  2. Alvaro

    Parabéns! Esse artigo, assim como seu blog em si, estão clareando meu raciocínio com uma nova perspectiva que eu ainda não tinha me atentado e que talvez explique o porquê de alguns erros que venho cometendo. Saúde e prosperidade, meu caro Roger!

    Responder
  3. Anderson Souza

    Olá, muito interessante a fórmula de kelly. Ontem apliquei esse cálculo no fim do dia (operando com 1 mini) e obtive k=0,39 sendo que a margem do mini é R$ R$ 84, isso quer dizer que no dia seguinte teria que ganhar R$ 215 para poder aumentar para 2 mini?

    Responder
    1. Roger Batté Resposta do autor

      não…isto quer dizer que a margem que deve utilizar para SUA realidade operacional é : 84/0,39= 240 reais por contrato. Para poder passar para 2 contratos devera ter 480 reais. Funciona direitinho. Se quiser operar com 5 contratos amanhá por exemplo e somente tiver 500 reais , posso apostar com você que, a não ser que tenha uma sorte danada , ira perder a maior parte do que tem. Ou seja ate ter um K pelo menos igual a 1, não pode usar mais de um contrato…vai por mim : isto ira limitar suas perdas drasticamente. E a arte de vencer no day trade não é tanto fazer bons trades mas limitar as perdas.

      Responder
  4. saniasin

    Roger!

    Baseado nas suas ideias criei um índice de desempenho para traders.

    Vou explicar.
    Considerei apenas o nível de acerto e denominei a média das perdas e ganhos como pay-off médio.

    Então:

    Nível de acerto = nº de trades com lucro/nº total de trades
    Pay-off médio = média de pontos por trade positivo/média de pontos por trade negativo
    Usei a constante 0,5 como normalizador do resultado.

    Assim o Índice de Desempenho do Trader (IDT) seria calculado da seguinte maneira:

    IDT = (N. de acerto × Pay-off médio)/0,5.

    A interpretação do índice é:

    Se for 1 – melhore.

    Se for menor que 1 – continue com um contrato e estudando muito.

    Se for maior que 1.
    Parabéns! Prepare sua cabeça para ser rico. O número de contratos a serem operados só será limitado pela margem que a corretora lhe der.

    Isso, claro, quando seu IDT for maior que 1 a, pelo menos, um ano.

    Responder
    1. Roger Batté Resposta do autor

      é por ai mesmo…perfeito . É uma maneira de não se iludir sobre seus resultados e expectativas.

      Responder

Deixe uma resposta